[Resenha] Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven

13 fev

downloadSinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas,selo-seguinte ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Drama   |   336 páginas   |   Avaliação 5/5

O problema das pessoas é que elas esquecem que na maior parte do tempo o que importa são as pequena coisas.

 por-lugares-incriveis   Esse livro me tocou de uma maneira que poucos conseguem. É tão bom começar o ano assim. A sensibilidade transparecida em ambos personagens principais e narradores, Finch e Violet, faz com que voemos junto com eles. Como muito comentado, refere-se a um livro dramático, o qual já se inicia com os dois protagonistas na torre do relógio da escola, prestes a pularem. Cada um com seus motivos.
Havia quase um ano que Violet perdera a irmã Eleanor. Eram tão próximas que a vida de Violet havia perdido o sentido. Desde sua morte, a garota tinha parado de realizar tarefas que antes tinha prazer. Finch (apelidado na escola como Finch “Aberração”) tem uma família completamente desestruturada. Mora com sua mãe e duas irmãs. O garoto vive largado e por conta própria. Tanto o pai quanto a mãe sequer notavam o quanto ele precisava de ajuda.

Sou problemático. Estou despedaçado.

  Entretanto, quem ajudou o outro a não pular fora Finch. Uma pena Violet ter escondido isso e deixado as pessoas acharem que ela que o tinha convencido a não pular. Isso só fez o apelido Aberração ter mais sentido.

(…) porque estamos no ensino médio, o que significa que somos previsíveis, e que quase qualquer coisa é engraçada, principalmente se causar a humilhação pública em alguém.

  O acontecimento desencadeou tanta curiosidade no garoto que não descansou até saber o motivo do porquê Violet queria pular.

Devo mencionar que sou um brilhante desviador de assunto. Tão brilhante que conseguiria bolsa integral na faculdade pra me formar nisso, mas pra quê? Já sou mestre nessa arte mesmo.

 por-lugares-incriveis

  Tal aproximação insistente por parte dele fez a garota ceder, dando a si mesma motivos de como é bom estar viva. Seus desejos, estímulos e objetivos voltavam aos poucos. Esses dois acabam encontrando fôlego um no outro.

Pela primeira vez, não quero ser outra pessoa além de Theodore Finch, o garoto que ela vê.

  Você precisa ler esse livro! Não é um romance normal entre adolescentes confusos, e sim uma visão sobre a vida e a morte tendo como pontos de vista um rapaz sufocado e uma garota indignada.

Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama