[Resenha] The Kiss of Deception – Vol 1, Mary E. Pearson

6 mar

the kiss of deception resenhaSinopse: Plante ilusões e você colherá do mundo grandes decepções. A força feminina é a grande estrela neste romance de Mary E. Pearson. Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas, menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro? O primeiro
 volume das Crônicas de Amor e Ódio evoca culturas do nosso mundo e as transpõe para a história de forma darkside logomagnífica. É um livro sobre a importância da autodescoberta, do amor e como ele pode nos enganar, e de uma protagonista em busca de sua liberdade e felicidade a qualquer custo.

Distopia/Romance   |   418 páginas   |   Avaliação 4/5

Estou numa fase de ignorar esses livros de fantasia/aventura, de tanto que li e comecei a me aventurar em romances de época (coisa que eu nunca poderia imaginas, mas acabei conhecendo os Bridgertons e sabe como é, né… Aconteceu 🙂 ), mas, meu amigo, quanto bafafá que rolou acerca de The Kiss Of Deception, hein? E além do mais, tem essa capa dura maravilhosa com um mapa por dentro. AIII, Darkside, assim você me mata *.* (e me falir também hahaha).

s2

 A história é narrada em primeira pessoa através de Lia, a princesa do reino mais poderoso daquelas terras. A aventura começa quando ela se dá conta de que vai se casar para fortalecer alianças entre os povos. Por mais que isso acarrete sua morte, Lia seguiu em frente com seu plano e fugiu dali com a ajuda e companhia de sua amiga, Pauline.

“Durante minha vida toda sonhei com alguém me amando pelo que eu era. Por quem eu era. Não por ser a filha de um rei. Não por ser a Primeira Filha. Apenas por mim. E, com certeza, não porque um pedaço de papel ordenava isso” (p. 160).

 A partir do mapa encontrado no livro, o leitor pode se orientar pelas passagens. As duas não foram muito longe daquelas fronteiras e acabaram em uma estalagem. Ali conseguiram um emprego. Lia esperava passar sua vida tranquila, porém, cá entre nós, a filha do rei realmente espera não ser encontrada? Claro que imaginou tropas a sua procura, mas mesmo assim achou que poderia escapar deles. É claro que o que ela pensou estava errado. Seria muito fácil. Ainda mais que as duas não estavam assim tão longe de sua terra natal. É aqui que conhecemos o Príncipe e o Assassino.

“Talvez houvesse centenas de formas diferentes de se apaixonar” (p. 201). 

 Eles dois têm o mesmo objetivo: encontrar a princesa, o que difere é o que cada um vai aprontar com ela depois que a encontrasse. Os capítulos não possuem o nome de cada um, de modo que fica confuso determinar de incício quem é quem, mas não se preocupe que com o tempo vai tudo se encaixando. Basta prestar um pouquinho de atenção 😉

“Pode-se levar anos para se moldar um sonho, mas é preciso apenas uma fração de segundo para despedaçá-lo” (p. 244).

 Meus mais sinceros PARABÉNS para a Mary. Nossa, mulher, que escrita deliciosa! Em pouco tempo já tinha devorado o livro (eu achava né? hahaha Claro que demorei um pouquinho, mas quando o trem tá bom a gente que não vê o tempo passar). Fiquei muito feliz com a minha aquisição e já decidi que quero acompanhar Lia até o final!

the kiss of deception

   Os pontos que mais me incomodou foi ter me encantado com aquele mapa MARAVILHOSO e a autora não ter explorado quase nada 🙁 Como eu queria ter viajado e conhecido mais sobre os lugares ali mencionados. MAAAAS não estou tão frustrada porque esse ainda é só o primeiro da saga. Quem sabe o que mais vem por aí, né? #Ansiooooosa

   E outra coisinha: um pouco de encheção de linguiça. Gente, sério, a Lia passou um tempãããão encravada lá na estalagem. Tinha algumas situações que eu nem sabia o porquê de estar lendo. Simplesmente poderiam ter sido excluídas que não fariam diferença nenhuma. Mas tá ok. O que salvou foi a escrita gostosa dela (olha eu falando mais uma vez ahhaha) e nenhum pouco cansativa.

the kiss of deception map

   Eu não poderia finalizar sem falar sobre os crush, né? Lá vai: Team Kaden e Team Rafe. Olha, acho que é a primeira vez que não fico tão divida. Nenhum dos dois me conquistou. Deu pra conhecê-los legal durante a leitura, só que não rolou aquela preferência. Pra mim os dois tiveram sua qualidades e defeitos.

“Eu estava fazendo exatamente o que ele faria se estivesse no meu lugar: tentando sobreviver” (p. 321). 

 Ahhhh, eu amei também o fato do livro conter citações de um livro fictício que existe dentro daquele mundo. Amo, amo amo!

Até a próxima!!!!

  • Categorias: Ação e Aventura, Resenhas