Especial Dom Casmurro, Machado de Assis

24 maio

“Eu amava Capitu! Capitu amava-me! E as minhas pernas andavam, desandavam, estacavam, trêmulas e crentes de abarcar o mundo. Esse primeiro palpitar da seiva, essa revelação da consciência a si própria, nunca mais me esqueceu, nem achei que lhe fosse comparável qualquer outra sensação da mesma espécie. Naturalmente por ser minha. Naturalmente também por ser a primeira” (p. 37).

   “Em verdade, não falamos nada; o muro falou por nós. Não nos movemos, as mãos é que se estenderam pouco a pouco, todas quatro, pegando-se, apertando-se, fundindo-se” (p. 39).

   “Capitu era Capitu, isto é, uma criatura mui particular, mais mulher do que eu era homem. Se ainda o não disse, aí fica. Se disse, Fica também. Há conceitos que se deve incutir na alma do leitor, à força de repetição” (p. 62).

   “Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá ideia daquela feição nova. Trazia não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca” (p. 65).

   “Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros; mas tão depressa buscava as pupilas, a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura, ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me. Quantos minutos gastamos naquele jogo?” (p. 65).

   “Eu, uma vez que confesso tudo, digo aqui que não tive tempo de soltar as mãos da minha amiga; pensei nisso, cheguei a tentá-lo, mas Capitu, antes que o pai acabasse de entrar, fez um gesto inesperado, pousou a boca na minha boca, e deu vontade o que estava a recusar à força. Repito, a alma é cheia de mistérios” (p. 73).

   “Entretanto, se eu me ativer só a lembrança da sensação, não fico longe da verdade; aos quinze anos, tudo é infinito” (p. 88).

   “Oh! minha doce companheira da meninice, eu era puro, e puro fiquei, e puro entrei na aula de S. José, a buscar de aparência a investidura sacerdotal, e antes dela a vocação. Mas a vocação eras tu, a investiduras eras tu” (p. 90).

traço

   Enquanto eu lia os quotes que havia marcado, tive a oportunidade de me deliciar novamente com as palavras de Machado de Assis. Não ia escrever nada, mas pensei aqui comigo que não poderia deixar passar em branco. Só tenho a dizer que a escrita faz gosto de ser lida. Tenho certeza que os quotes ali em cima deram um gostinho do que eu estou falando rsrsr <3

dom casmurro resumoResumo: “O romance Dom Casmurro é narrado em primeira pessoa por José Bento, o Bentinho (apelidado, na velhice, de Dom Casmurro, por viver recluso e solitário). Em retrospectiva, ele conta fatos de sua infância na casa da mãe viúva, D. Glória, ao lado do tio Cosme, da prima Justina, do agregado José Dias. Como vizinhos de fundo, Pádua e D. Fortunata, pais de Capitolina (apelidada Capitu), de condição social inferior. O objetivo do narrador-personagem é tentar reviver as emoções afetivas através da reconstituição do passado. Recuando até o tempo em que ele e Capitu eram crianças, Bentinho conta como a convivência e as brincadeiras vão aproximando os dois amiguinhos, que, na adolescência, tornam-se namorados. A família dela, vendo nesse relacionamento a possibilidade de casamento e ascensão social de Capitu, favorece o namoro entretanto, a mãe de Bentinho, fiel a uma antiga promessa, coloca-o no seminário com o intuito de fazê-lo seguir a carreira eclesiástica. Capitu empreende esforços para impedir que Bentinho, sem magoar a família, chegue a ordenar-se, revelando-se uma moça esperta e insinuante. Com a ajuda de Escobar, um colega de seminário, Bentinho encontra um modo de não ter de cumprir a promessa feita pela mãe e, depois de concluir o curso de Direito, casa-se com Capitu. A amizade com Escobar é fortalecida ainda mais após o casamento deste com Sancha, amiga de Capitu. Os dois casais moram perto, visitam-se frequentemente e tornam-se muito unidos. Nasce a filha de Escobar e Sancha alguns anos depois, Capitu dá à luz um menino, Ezequiel. Pouco tempo depois, Escobar morre afogado no mar e, a partir da reação de Capitu no velório do amigo, começa a nascer em Bentinho a suspeita de uma possível traição da mulher, que vai se transformando em certeza à medida que Ezequiel cresce e adquire feições semelhantes às de Escobar. Torturado pelo ciúme, Bentinho não consegue mais suportar a presença da mulher e do filho. Decide então separar-se deles. Faz uma viagem com a família à Europa, onde ficam Capitu e Ezequiel. Bentinho volta sozinho ao Brasil. Após alguns anos, Capitu morre, sem ter voltado ao Brasil e revisto o marido. Ezequiel, já moço, faz uma única visita a Bentinho, morrendo pouco depois numa viagem de estudos ao Oriente. Bentinho, já velho, fecha-se cada vez mais na sua vida solitária, quando passa a ser chamado de Dom Casmurro. É nessa fase que decide escrever a história de sua vida, como anunciou nos capítulos iniciais.”

Até a próxima <3

  • Categorias: Destaque