[Resenha] TONY E SUSAN, Austin Wright – do Filme: Animais Noturnos

13 set

Tony e Susan – Austin Wright - Editora IntrínsecaSinopse: Há vinte e cinco anos, Susan Morrow deixou Edward Sheffield, seu primeiro marido. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora com os filhos e o segundo marido, ela recebe, pelo correio, um embrulho que contém o manuscrito do primeiro romance de Edward. Ele lhe pede que leia seu livro – Susan sempre foi sua melhor crítica, justifica. Ao iniciar a leitura, Susan é arrastada para dentro da vida do personagem Tony Hastings, um professor de matemática que leva a família de carro para a casa de veraneio no Maine. Quando a vida comum e civilizada dos Hastings é desviada de seu curso de forma violenta e desastrosa, Susan se vê às voltas com seu passado, obrigada a encarar a própria escuridão e a dar um nome para o medo que corrói seu futuro e que vai mudar sua vida.

Drama   |   336 páginas   |   Avaliação 4/5

   Antes de começar, já adianto… o livro é cruel. Pode esquecer quem achou que o autor introduziria algum tipo de narrativa romântica entre sexo opostos. É um perigo para os leitores que se envolvem com facilidade. Como disse Robert Thomson (na capa): “Um thriller com a pegada de um pit bull”.

   Susan Morrow é uma mulher casada e mora com seus três filhos e seu segundo marido, um médico. Antes deste casamento, ela se relacionou com Edward Sheffield; este tinha o sonho de se tornar escritor, mas desistiu dele para trabalhar com corretagem de imóveis. Inusitadamente, recebe uma carta de Edward perguntando se ela queria ler o seu manuscrito: Animais Noturnos. Chocou-se, pois fazia vinte anos que não recebia notícias dele. O homem dizia que ela sempre lhe dava as melhores críticas, por isso fazia questão de que ela o lesse.

WhatsApp Image 2017-09-13 at 10.48.31

   Arnold, seu segundo marido, estaria fora por três dias a trabalho. Com a ideia de não aparentar inconveniente, esperou que ele viajasse para iniciar sua leitura de Animais Noturnos.

   A história que se passa induz a submetermos inteiramente a ela, sendo exatamente assim o sentimento provocado em Susan. Criou uma relação de envolvimento tamanha em relação ao romance, suscitando vasto ceticismo sobre o rumo de sua vida. Várias lembranças jorraram de sua memória a medida em que virava as páginas. Descobrimos uma Susan do passado. A Susan que ainda era de Edward.

“Casta e platônica, essa foi a situação enganosa que levou Edward a seduzir Susan, ou Susan a seduzir Edward, tanto faz, cujo resultado final foi o casamento que tornou necessário o divórcio. Ter o coração partido significa ter uma história, e a história de ambos os uniu.”

   Tony e Susan é dividido nas sessões de leitura feitas por Susan, e a vida real dela, quando não está lendo Animais Noturnos. Susan demonstra conexão com Tony, o personagem principal do livro de seu ex marido, chegando a sentir medo com ele. Incrível é o autor apresentar uma situação na qual mostra um leitor – Susan – e suas emoções. A mulher entra de cabeça mesmo na história, é quase como se tudo em Animais Noturnos fosse vivo, real.

   Em Animais Noturnos, o universo é tenebroso, levando um homem a beira da loucura. Mal sabia o quão grave seria o resultado do momento em que decidiu passar uns dias com sua família em uma casa de veraneio.

“O dinheiro compensaria os sonhos perdidos.”

Será mesmo?

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama