Categoria: Livros em Verso

[Livros em Verso] A Fúria e a Aurora, de Maria Lúcia Monteiro Xavier

17 fev

Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

a furia e a aurora

Uma jovem de dezesseis anos
No castelo se infiltrou
Para a realização de um plano
Que ela mesmo elaborou

Tudo o que ela precisava
Era se candidatar
Sorte para ser a escolhida
Para o rei então se casar

Seu nome era Sherazade
Shasi, para os mais chegados
O que a moça ia fazer
Era muito arriscado

Mas ela não teve medo
Sua coragem foi admirável
Muito esperta e inteligente
Ela era mesmo muito incrível

De tudo o que estou contando
Vocês irão entender
É a história de um rei
Não quero nem conhecer

Tinha só dezoito anos
Tão jovem e já tão cruel
Quando morrer, com certeza
Sua alma não irá para o céu

Todos os dias Khalide se casava
Com uma moça diferente
E o que fazia com elas
Só mesmo uma mente doente

Escolhia suas vítimas
Sem nem mesmo as conhecer
Na lua de mel as degolava
Sempre em cada amanhecer

Sem um pingo de compaixão
Impiedoso e sem temor
Seu coração: duro de pedra
Homem frio, sem amor

Entre as moças que matou
Havia uma especial
Shiva casou-se com o rei
E teve uma morte, fatal

Shasi então ficou sabendo
De tristeza ela chorou
Esse monstro demoníaco
Minha amiga ele matou

Tantas moças foram mortas
Como se fossem animais
Completamente indefesas
Vão e não voltam nunca mais

Como um predador feroz
Que matou só por matar
Sem culpa e arrependimento
Só seu prazer saciar

Vou tomar uma atitude
Isso não pode continuar
Minha amiga, eu te juro
Eu hei de te vingar

As famílias desoladas
A cidade toda chocada
Moças morrem pelas mãos
De um homem psicopata

Shasi arquitetou seus planos
Com o rei ela se casou
Não termina por aqui
Seu plano ela só começou

Era sua noite de núpcias
E o que fazer agora?
Sabia que a morte era certa
Começou a contar histórias

Conseguiu agradar o rei
Mas era só por momento
cada dia que passava
Era só mais um tormento

Cada história que contava
Era mesmo muito legal
Para assegurar a sua vida
Deixava Para o dia seguinte o final

Com o tempo ela foi descobrindo
As atitudes de um jovem rei
Por quem se apaixonou
Desse mal me livrarei

Por viver assim tão só
Totalmente abandonado
Foi o que lhe transformou
Em um homem atormentado

Mas em nada justifica
Um rei é pra cuidar de seu povo
A ficha dela caiu
Não caio nessa de novo

A morte da minha amiga
Vim aqui para me vingar
Não vou perder o meu foco
Preciso me despertar

Naquele momento senti
Tristeza em eu coração
Não posso me apaixonar
Implacável traição

Preciso seguir a razão
Com o mesmo pensamento
Não vou me deixar levar
Por qualquer outro sentimento

E pra continuar vivendo
Sem correr nenhum perigo
Seu triunfo eram as histórias
Que alegravam o seu marido

O que eu quero provar?
Isso nem eu mesma sei
Vontade de ser rainha
Ou sobreviver as maldades de um rei?

Acabando uma história
O medo a percorria
Começava outra
Deixando o melhor para outro dia

Contava histórias bem longas
Assim ganhava tempo
Sabia que ele poderia
Matá-la a qualquer momento

Tariq era um rapaz
Antes de tudo isso acontecer
Queria casar-se com Shasi
Antes de sua prima morrer

Com a morte da prima Shiva
E vendo casar-se com sua amada
Não ficou de braços cruzados
Para o rei preparou uma cilada

Ele vai ter o que merece
Sem fazer nada eu não fico
Enquanto Shasi, a minha amada
Está correndo perigo

O rei perguntou a esposa:
Por que quis se casar?
Ela respondeu que falava
Mas ele devia prometer não a matar

Recusando, balançou a cabeça
Com gesto dizendo não
Os dois passaram a noite juntos
Até que o rei chamou o capitão

O homem veio logo escoltá-la
Direto para sua execução
Porém, mais uma vez foi poupada
Sem saber qual a razão

Só tem uma explicação
Meu marido foi atrás de mim
Eu sinto
Isso se chama intuição

Até quando vou viver
Com essa angústia no peito?
Um grande medo me toma
É sempre assim desse jeito

Será o tempo de meu amado
Com esse rei acabar?
Acabar com a maldição
E vir aqui me salvar?

A tracos e barrancos
Com cautela ela foi se virando
Suas histórias não pararam
A fim de agradar o rei, ela ia contando

Essa é a minha estratégia
De um jeito bem natural
Como não era nada boba
Deixava o melhor para o final

Eu preciso descobrir
O que faz com que ele queira matar
Mas sempre o rei se esquiva
Disfarça pra não me contar

De doido o mundo tá cheio
E de maldade também
Mas se estivermos firmes com Deus
Aí não tem pra ninguém

Pode passar o que for
Em qualquer situação
Quando cremos no Senhor
Ele nos dá a solução

O nosso Deus é maior
Quem cuida de todos nós
Se resistirmos ao diabo
Ele fugirá de nós

Pra matar, roubar e destruir
Foi para isso que o diabo veio ao mundo
E acabar com as famílias
Numa fração de segundo

E assim eu vou terminando
De contar mais essa história
Que o Senhor nos abençoe
E vá nos dando a vitória

A história por trás dos versos pertence ao livro A Fúria e a Aurora da autoria de Renée Ahdieh.

Escrito por:

[caption id="attachment_1653" align="alignleft" width="150"]Maria Lucia Monteiro Xavier Maria Lúcia Monteiro Xavier[/caption]

 

  • Categorias: Livros em Verso
  • [Livros em Verso] Juntando os Pedaços, por Maria Lúcia M. Xavier | Resumo

    30 jan

    Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    Este resumo não contém spoilers.

    juntando os pedaços

    Essa história é interessante
    De um rapaz bem diferente
    Sofre de prosopagnosia
    Doença que afeta a mente

    Se alguém está perto dele
    Ele não consegue identificar
    O nariz, olhos e boca
    Fica difícil gravar

    É como um quebra cabeça
    Cheio de peças pra montar
    Tendo as partes separadas
    Precisando de juntar

    Os amigos e família
    Pra conseguir distinguir
    No cabelo, cor de pele
    No andar e jeito de vestir

    Esse era o seu segredo
    Que a ninguém nunca contou
    Até conhecer Libby
    Na escola ele a encontrou

    Também cheia de problemas
    Vivia em casa trancada
    Não queria ver ninguém
    Sem ter vontade pra nada

    Havia perdido a mãe
    Já há alguns anos
    Nem pra escola ela ia
    Não queria estudar mais

    Sem vontade de viver
    Engordando de montão
    Tenta juntar os pedaços
    De seu pobre coração

    E o tempo foi passando
    Vejam só, mas que tristeza
    A moça se descuidou
    E acabou ficando obesa

    Até que um dia resolve
    E toma uma decisão
    Preferiu mudar de vida
    A ter que viver em depressão

    Ela já se sente pronta
    Pra ter uma vida normal
    Libby volta a estudar
    Terminar o colegial

    Logo nos primeiros dias
    Começou o tormento
    Brincadeiras de maldade
    De bullying a todo momento

    Na escola, um dos mais populares
    Aprontava sem fim
    Não queria nem saber
    O menino Jack Masselin

    Seus amigos o pressionavam
    Não é como você quer
    Vai fazer o que mandamos
    Ou não largaremos de seu pé

    Jack fez o que pediram
    Brincadeira de mal gosto
    Foi zombar Libby Strout
    Tomou foi um soco no rosto

    Estavam no refeitório
    Na hora da refeição
    Jack com o queixo quebrado
    Caiu com a cara no chão

    Só por causa de seu peso
    É mesmo uma covardia
    Jack e Libby foram parar
    Dentro da diretoria

    Sem saber o que fazer
    Com uma cara de otário
    Por castigo os dois prestaram
    Serviços comunitários

    Os dois ficaram mais próximos
    Para tudo tem um jeito
    Começaram a enxergar um ao outro
    Como ninguém nunca tinha feito

    E a partir desse dia
    Os dois não desgrudavam mais
    Libby sentiu a liberdade
    Percebeu o quanto era capaz

    Passou por tantos vexames
    Vejam só que crueldade
    Pra sair de sua casa
    Precisava de um guindaste

    Ela até foi nomeada
    A mais gorda adolescente
    Quebraram porta e parede
    Isso foi mesmo deprimente

    Passou por momentos difíceis
    Sujeitou-se a tratamentos
    Dietas e terapias
    Amenizou o sofrimento

    Para ela é bem mais difícil
    Levar uma vida normal
    Mas aos poucos ela conseguiu
    Subir degrau por degrau

    Enfrentando a escola
    Já se sentia prontinha
    Acabou-se o seu terror
    E a vida de coitadinha

    Tenho uma cabeça boa
    Grande personalidade
    Sou forte e posso correr
    Mesmo tendo pouca idade

    Só porque eu sou gordinha
    Acham que sou diferente
    Sou jovem igual a qualquer jovem
    Sou gorda sim, mas sou gente

    Para os preconceituosos
    Isso é falta de amor
    Não podem julgar ninguém
    Por seu tamanho ou sua cor

    Eu posso mudar de vida
    Basta somente eu querer
    Eu sou mesmo infinita
    E o que dizer de você?

    Seja você como for
    Não tem que se envergonhar
    E nem deixe que ninguém
    Venha te manipular

    RESENHA AQUI 

    Os versos  foram escritos e adaptados por Maria Lúcia Monteiro Xavier.  
    A história por trás dos versos pertence ao livro Juntando os Pedaços da autoria de Jennifer Niven.

    Escrito por: 
    Maria Lucia Monteiro Xavier

     

    Maria Lúcia Monteiro Xavier

     

  • Categorias: Livros em Verso
  • [Livros em Verso] Feliz Aniversário, Maria Lúcia M. Xavier

    31 dez

     Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    feliz-aniversario-o-mundo-encantado-dos-versos

    Não nasci em berço de ouro, mas também não é tão ruim
    Minha mãe vai trabalhar, é vovó quem cuida de mim
    O meu pai é carpinteiro, minha mãe é diarista
    Meus irmão já fez dezoito, trabalha de balconista

    Logo de manhã cedinho, todos saem pra trabalhar
    E a vovó vai me levando pra escola estudar
    De tarde volto pra casa, aproveito pra brincar
    A vovó vai controlando, preparando meu jantar

    Amanhã não vai ter aula, é sábado, estou contente
    É o meu aniversário, mas nunca ganhei presente
    Eu nunca tive uma festa, meu pai não tem condição
    Mas nas festas dos amigos, como e bebo de montão

    Eu só fico ali sonhando, um dia vou ter também
    Não pode ser esse ano, quem sabe ano que vem
    O que eu nem esperava, hoje o meu dia chegou
    Fizeram uma linda festa, meu sonho se realizou

    Tinha bolo, balas, doces, salgados, balão de gás
    Pipoca e cachorro quente, eu fiquei feliz demais
    Foi minha primeira festa, senti algo diferente
    Guardarei essa lembrança pra sempre na minha mente

    Ganhei tantos presentes, era tudo novidade
    Cada um que eu abria, era só felicidade
    Primeiro agradeço a Deus, meus amigos e família
    Senhor, será que terei outra festa algum dia?

    Se você tiver um sonho, não importa sua idade
    Se esperar com paciência, se tornará realidade
    Se sua casa é humilde não tem que se envergonhar
    Ser pobre não é defeito, pior é ser rico e roubar

    Muitos pobres criam os filhos com muita dificuldade
    Pode até nem ter dinheiro, mas tem amor e dignidade
    Muitos ricos criam os filhos, sem amor, sem união
    Crescem amargos, arrogantes, sem um pingo de educação

    Não tem tempo para os filhos, o trabalho vem primeiro
    E quando os filhos se perdem, vão chorar no travesseiro
    Amor é o maior tesouro, e o cofre é o coração
    Deus disse que o amor de muitos; um dia eles se esfriarão

    Viver bem com todo mundo é a melhor coisa que tem
    Cultivemos o amor para que não acabe também
    No futuro o que eu fizer, quero fazer tudo certo
    Ensinar para os meus filhos, e também para os meus netos

    Aqui deixo a minha história, sou pobre, mas tenho amor
    Quero ajudar a minha família, e tornar-me um vencedor.

       A história por trás dos versos pertence ao livro O Mundo dos Versos da autoria de Maria Lúcia Monteiro Xavier.

    Escrito por: 

    [caption id="attachment_1653" align="alignleft" width="150"]Maria Lucia Monteiro Xavier Maria Lúcia Monteiro Xavier[/caption]

     

  • Categorias: Livros em Verso
  • [Livros em Verso] Natal, Maria Lúcia M. Xavier

    20 dez

    Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    natal-jesus

    No Natal comemoramos o nascimento de Jesus
    Jesus Cristo é o caminho, a verdade e a luz
    Dia de ganhar e dar presentes também
    Tem crianças neste mundo que nem presentes elas têm

    As famílias se reúnem pra se confraternizar
    Comidas, doces gostosos e um bom vinho pra brindar
    Dia pra pedir perdão e também pra perdoar
    Todos felizes na mesa esperando para cear

    De repente um se levanta pra fazer uma oração
    Servindo a todos com vinho e um pedaço de pão
    Agradecendo a Deus pelas bênçãos recebidas
    Pela família que tem, e por mais um ano de vida

    Porque está tão difícil manter uma família unida
    O amor e o respeito trocados por ódio e briga
    E o que Jesus quer de nós: muito amor, muita união
    Que possamos respeitar e amar o nosso irmão

    Amem primeiro a Deus, isso foi o que ensinei
    E amai-vos aos outros assim como vos amei. 

    A história por trás dos versos pertence ao livro O Mundo dos Versos da autoria de Maria Lúcia Monteiro Xavier.

    Escrito por: 

    [caption id="attachment_1653" align="alignleft" width="150"]Maria Lucia Monteiro Xavier Maria Lúcia Monteiro Xavier[/caption]

     

  • Categorias: Livros em Verso
  • [Livros em Verso] O Adulto, por Maria Lúcia M. Xavier | RESUMO

    30 nov

    Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    Este resumo não contém spoilers.

    o-adulto

    Era só uma criança
    Totalmente abandonada
    Pra completar foi criada
    Por uma mãe desleixada

    Quando fez dezesseis anos
    Pra rua ela se mandou
    Sem ter opção de vida
    Sozinha se virou

    Fez tudo o que não devia
    Roubou e pediu esmola
    Se envolveu com homens casados
    Que a usava e iam embora

    Ela se prostituia
    Só pensava em se dar bem
    Sem remorso e arrependimento
    Sem se importar com ninguém

    Resolveu ganhar a vida
    De maneira diferente
    Fazer consultas exotéricas
    Trabalhando de vidente

    Lá vai ela noite e dia
    Numa fração de segundo
    Com suas lábias mentirosas
    Enganando todo mundo

    Pra convencer as pessoas
    Só dizia o que queriam ouvir
    Dando uma de boazinha
    E que nasceu pra servir

    Seu maior objetivo
    São as ricas carentes
    Mulheres donas de casa
    Ricas e deprimidas

    Passa o dia procurando
    Como um caçador a sua caça
    Ao encontrar suas vítimas
    Ao dar o bote, disfarça

    Conheceu Susan Burke
    Que quer viver emoção
    A moça então aproveita
    Pra tirar vantagem da situação

    Com o marido, um pequeno filho
    E um enteado adolescente
    Susan para aquela cidade
    Se mudou recentemente

    Quando a moça ali entrou
    Foi forte a sua visão
    A casa de Susan Burke
    Era uma tremenda mansão

    Impressionada sentiu
    Que era esse seu dilema
    Só não sabia o que fazer
    Pra resolver o seu problema

    Ela mesma acredita
    Que é tenebroso e aterrorizante
    E precisa descobrir
    Aonde o mal se esconde

    Pra tentar ganhar a vida
    Eu menti pra tanta gente
    Caí na minha própria armadilha
    Por fingir ser uma vidente

    Brincar com o sobrenatural
    Isso é mesmo muito sério
    Agora nem sei se consigo
    Desvendar esse mistério

    A nossa protagonista
    O que eu achei engraçado
    Que em nenhum momento da história
    Seu nome foi revelado

    o-adulto-cover

    Os versos  foram escritos e adaptados por Maria Lúcia Monteiro Xavier.
    A história por trás dos versos pertence ao livro O Adulto da autoria de Gillian Flynn.

    Escrito por: 
    Maria Lucia Monteiro Xavier

     

    Maria Lúcia Monteiro Xavier

  • Categorias: Livros em Verso
  • [Livros em Verso] Não Pare!, por Maria Lúcia M. Xavier | Resumo

    31 out

    Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    Este resumo não contém spoilers.

    nao-pare-resenha

    Mãe e filha, duas loucas
    Isso é o que o livro diz
    Mudam igual cigano
    De cidade em cidade ou de país em país

    Stella é o nome da mãe
    Nina é a filha
    Era mesmo uma bagunça
    A vida dessa família

    Nina com dezesseis anos
    Tinha uma vida de solidão
    Era obrigada a se mudar
    Queria saber a razão

    Com os sentimentos confusos
    Como se alguém morreu
    Sentindo até calafrios
    Nina de nada entendeu

    Tudo foi tão de repente
    Ficar mudando pra quê?
    Sempre de um lado para o outro
    Nem dava prazer de viver

    Sobrenatural e sorte
    Tem alguma ligação?
    “O que tenho eu com a morte?
    Tem de haver alguma ligação”

    Nina então ficava
    Perdida em seus conflitos
    Stella ia surtando
    Com seu medo esquisito

    Sempre com medo constante
    Que alguém as fizesse mal
    No corre corre levariam
    Uma vida superanormal

    Nina se sentia mesmo
    A mais infeliz do mundo
    Se metia em confusão
    Numa fração de segundo

    Vivia de saco cheio
    E então sofrendo um acidente
    Calou-se para não correr risco
    De se mudar novamente

    Mas até que finalmente
    Para Nova York se mudaram
    Os fantasmas de seus medos
    Esperava ela que acabariam

    Na escola da cidade
    Nina se matriculou
    Tudo ia muito bem
    Logo ela se adaptou

    Conheceu uma mocinha
    Foi acendendo uma luz
    Havia também um rapaz bonito
    Anjo de olhos azuis

    Se interessando por ela
    Rapaz gentil e charmoso
    Deu-lhe um apelido
    Pelo seu jeito carinhoso

    Recebendo um convite
    Ao qual ela aceitaria
    Finalmente um emprego
    Trabalhar numa livraria

    Estava tudo perfeito
    Mal dava para acreditar
    Porém, seu maior pesadelo
    Já estava para começar

    Cara arrogante e grosseiro
    Ignorante também
    Um metido a esperto
    Pensava em só se dar bem

    Richard era seu nome
    Um verdadeiro animal
    De virtudes não tinha nada
    Tremendo cara de pau

    Os minutos são longos
    A hora custa a passar
    A noite não chega nunca
    Pra dele ela se livrar

    Os dias vão se passando
    Não tinha mais seu jeito, alegremente
    Como se fosse tortura
    Ele faz sofrê-la lentamente

    As coisas ficaram mais sérias
    Fugindo mesmo a sorte
    Quando confundem as palavras
    Falando de vida e morte

     

    nao-pare-resenha

    Leia a resenha clicando na imagem acima.

    Os versos  foram escritos e adaptados por Maria Lúcia Monteiro Xavier.
    A história por trás dos versos pertence ao livro Pode Beijar a Noiva da autoria de Patricia Cabot.

    Escrito por:

    [caption id="attachment_1653" align="alignleft" width="150"]Maria Lucia Monteiro Xavier Maria Lúcia Monteiro Xavier[/caption]

     

     

  • Categorias: Livros em Verso
  • Página 1 de 41234