Categoria: Resenhas

[Resenha por Mylena Machado] Uma Longa Jornada, Nicholas Sparks

17 dez

uma-longa-jornadaSinopse: Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga a um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começeditora-arqueiroa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.  

Young Adult  |  368 páginas  |  Avaliação  3/5

  Uma longa jornada relata a história de dois casais: Ira e Ruth, Luke e Sophia. Duas histórias de paixões verdadeiras recheadas de obstáculos, segredos e surpresas, além de uma reviravolta inusitada. Se prestarmos um pouco mais de atenção aos detalhes, há muitas semelhanças entre os casais. Falarei um pouco sobre os “pombinhos”, começando por Ira e Ruth.

  Desde o princípio, o livro deixa bem claro a morte de Ruth. Seu marido, Ira, já aos seus 91 anos de idade, vive sozinho, sem filhos, sobrinhos ou irmãos. Já externando alguns danos na saúde, Ira reconhece a velhice. Mas a história propriamente dita começa quando ele decide passar o dia numa cidade especial (em dia especial), e toma rumo a ela. Na estrada, com a vista ruim e a audição desgastada, o velho senhor sofre um acidente.

  O mais interessante é que Ira tem todas as características de estar praticamente morto, e naquele carro ele revive os momentos mais lindos e especiais de sua vida, o que se resume em Ruth. Mesmo sabendo que tudo aquilo se passava no seu subconsciente e Ruth era apenas uma ilusão, Ira passa o tempo que lhe resta esperando o seu resgate, embora isso não era tão importante quanto estar com Ruth. Eles passam esse tempo conversando e relembrando seus momentos. O idoso sente até seu toque, e sua “ajuda” é fundamental em algumas situações. Ele relembra tudo desde o dia em que se conheceram, quando se casaram, até seus últimos dias. Uma história emocionante, típica de Sparks.

  Ok, chega de falar em Ira e Ruth, ainda temos outro casal a conhecer: Luke e Sophia, esses sim estão com as emoções e sentimentos à flor da pele!

  Sophia mora numa irmandade com Marcia, sua colega de quarto na universidade. Faz história da arte e está demasiadamente “de molho”, pois acabou de terminar um relacionamento com Brian ao descobrir que ele dormiu com outra garota. A essa altura, Sophia só sai do quarto para assistir as aulas e não tem ânimo algum para noitadas, não quer mesmo conhecer ninguém. Marcia insiste em levá-la a um lugar onde afirma que ninguém da irmandade vai estar, inclusive Brian (Sophia também insiste em dizer que ele está seguindo-a). Por fim as duas vão para o lugar, um rodeio próximo dali.

  Após o rodeio, uma banda country se apresentou. Enquanto Marcia estava se embriagando, Sophia foi procurar um lugar mais reservado depois de se deparar com Brian. Não percebeu que estava sendo seguida e estava determinada a não falar com ele, e naquele momento brigaram feio. A certo ponto do conflito já estava com medo. De repente, vê Brian sendo retardado por Luke, o vencedor da competição do rodeio mais cedo (o que Sophia gostou de pensar que ele foi sua “salvação”). A partir daí, Brian vai embora com muita relutância e Luke e Sophia engrenam numa longa conversa.

Aquilo não foi longo, não foi ardente, mas assim que seus lábios se uniram ela teve a súbita certeza de que nada jamais parecera tão fácil e certo, o final perfeito para uma tarde perfeita.

  No decorrer do tempo, Sophia visita frequentemente a fazenda de Luke. Logo já estavam começando a visar um futuro juntos, mesmo com muitos problemas que os detinham. Sophia desconfiou que o homem guardasse um segredo. Estava disposta a descobrir o que ele tanto escondia.

  É isso, um final estupendamente inusitado, onde esses dois casais “se unem” de uma forma inimaginável. Uma história, não, duas histórias incrivelmente emocionantes que descrevem essa longa jornada que é a vida.

Escrito por:

Mylena

   Mylena Machado, 16 anos, estudante e minha prima. Será nossa resenhista de livros. Pegou mania de ler há dois anos. A primeira saga que a conquistou foi Percy Jackson e os Olimpianos.

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Farsas e Milagres, Mauro Livio

    13 dez

    farsas-e-milagresSinopse: A história não contou, mas Luiz Vaz de Camões teve um herdeiro. Iniciou-se no século XIX uma grande história de amor entre Isabel e Augusto Medeiros de Camões. O romance emocionante entre o jovem casal desenvolveu-se em meio a uma trama maligna e obsessiva: um frei não mediu esforços para levar ao mundo relatos de milagres que se sucediam em sua igreja. Para isso, foi capaz inclusive de forjar alguns para garantir sua fama, notoriedade e riqueza. Alguns anos depois, Jackson Coutinho de Camões (Jack Cout), durante uma visita a Basílica onde acontecia os “milagres”, presenciou fatos estranhos e decidiu investigá-los, afinal ele era o melhor detetive de seu departamento. Em meio a desaparecimentos, assassinatos, gafes, enigmas, salas secretas, homens centenários e umselo jovem ardente sonho recorrente, Jack precisará de muita astúcia e alianças para responder as perguntas que aparecerão durante sua investigação. Contará com a ajuda de pessoas engraçadas como sua avó, lúdicas como o padre João Paulo e misteriosas como Tadeu, quem se intitula anjo da guarda da família Camões. Será que tudo o que foi divulgado até hoje, sobre a Santa, a basílica e sobre Augusto são de fato milagres?

    Romance/Drama  |  232  páginas  |  Avaliação  3/5  |  Cortesia Selo Jovem

       O livro é dividido em duas partes, o passado e o presente. Primeiramente a narrativa nos leva lá no século XVI, e introduz uma parte da vida de Camões que até o momento ninguém sabia. A passagem é breve. Logo em seguida somos jogados no século XIX, onde o autor relata o início de como as farsas e os milagres surgiram.

    Não fui eu quem enganou estas pessoas por mais de um século (P. 115).

    farsas-e-milagres-mauro-livio    Augusto era descendente de Luís Vaz de Camões, e com isso herdou o mesmo dom do poeta. Foi só conhecer Isabel para que esta se tornasse a maior de suas inspirações, a musa de seus sonetos. Só que o destino quis pregar uma peça nos dois, provocando uma desunião trágica entre o casal. Entretanto, o que parecia ser o fim para Augusto, em pouco tempo, havia se transformado em um milagre. 

    Para um poeta a perda de amor é um aterro para alma (P. 11).
    O mesmo caminho que ele já havia percorrido por anos parecia estar diferente, sem cor, sem perfume, sem o gosto do amor (P. 62).

       O rapaz havia presenciado alguns, em suas palavras, “milagres”. Achou que estava fazendo o certo quando iniciou uma parceria com o frei Natanael da igreja de Jasmim do Alto, o qual  tinha o intuito de apresentar a Santa milagrosa – Santa do Relicário – ao mundo, no entanto, o frei só mostrou que não passava de um mentiroso ganancioso. Usava os “milagres” relatados por Augusto a fim de se tornar famoso.

       Os anos foram passando e com suas mentiras mais e mais fiéis a igreja foi conquistando. A situação teve uma chance de ser revertida quando Jack Cout, um detetive descendente de Augusto e, claro, Luís Vaz de Camões, testemunhou um episódio muito suspeito na basílica durante uma visita: ouviu gritos vindo de uma sala de reza. Quem estava lá acobertou o caso, mas Jack não quis deixar por isso só. Tomou a investigação para si e resolveu que não iria sossegar até descobrir o que realmente estava se passando por ali. Com isso, as farsas e milagres estavam umpasso mais próximos de serem descobertos.

    Em breve os segredos serão revelados, e este reinado fenecerá com suas farsas e milagres, assim como você (P. 115).
    – O poder, meu filho. Você quer conhecer o verdadeiro caráter de um homem, dê poder a ele (P. 178).

       farsas-e-milagresO que tal hipocrisia poderia acarretar para a determinada igreja? O frei, ainda vivo (com mais de 170 anos!), poderia ter se redimido? Quais eram as chances de Jack pôr na mesa segredos já ocultados por décadas? 

       Farsas e Milagres é um livro com uma pegada leve de religião e arte poética, mas ao mesmo tempo a trama sobrenatural manifesta-se de maneira sombria. O livro é bem fácil de ser lido podendo ser finalizado em poucos dias. Passei horas a fio com ele sem nem perceber o tempo passar. Durante a leitura, lembrei-me de algumas obras da literatura brasileira em função da escrita e os pontos chave da trama. Como a história que envolvia Augusto e Isabel que, particularmente, foi a que eu mais gostei.

    farsas-e-milagres-selo-jovem   A jornada de um escritor é árdua. Criar não é uma tarefa fácil. Por isso aproveito para parabenizar o autor Mauro Livio pela sua perseverança e em não descansar até concluir esse trabalho. Parabéns pelo livro!

    Compre: Selo Jovem

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Ruptura, Simon Lelic | Violência na Escola

    9 dez

    rupturaSinopse: Bullying é o centro da questão aqui. Quando ele existe, é inevitável o fato de que há outras pessoas envolvidas. Afinal, quem é o responsável pelo sofrimento da pessoa intimidada? E quando os que presenciam esse tipo de abuso não fazem nada? E os que de longe observam e agem como se nada disso fosse da sua conta? Ruptura é um romance que conta uma história necessária ao se debruçar sobre uma das selo-nova-fronteiraquestões mais polêmicas e discutidas da atualidade. Um tema que desafia pais e educadores e que é apresentado de forma envolvente numa trama intensa que promove ao leitor entretenimento e reflexão.

      Drama  |  286 páginas  |  Avaliação 4/5

      Ruptura se apresenta como um livro necessário de ser lido por todas as entidades escolares, tanto professores quanto alunos. Se for o caso do aluno, deve ser feito um estudo com professores acerca do mesmo para que a história não seja vista de forma confusa pelos alunos. Trata-se de um assunto tabu, ainda mais com tantos registros de violência nas escolas. O romance não aborda o bullying como algo fantasioso. Infelizmente, vemos a nossa volta situações similares encontradas neste livro, senão mais trágicas.

       Os capítulos são alternados entre o dia a dia de Lucy, detetive do caso, e testemunhos de familiares, amigos, professores e alunos. Para quem não leu a sinopse, Samuel Szajkowski é o professor em uma escola em Londres que lançou fogo com uma arma velha em três alunos e uma professora antes de se suicidar. Lucy investiga com muito afinco quem era por verdade o professor Szajkowski e porque ele cometeu um crime tão cruel. Quanto mais Lucy interroga as pessoas, mais ela descobre sobre quem era o homem que assassinou quatro pessoas a sangue frio.

       Todos, logicamente, o acusaram. Era uma pessoa sozinha, não tinha muitos amigos e tampouco namorada. Havia uma professora da mesma escola com a qual Samuel saíra algumas vezes, mas nada que ultrapassasse o físico. Sempre muito quieto e considerado esquisito, era alvo de bullying não só dos alunos, mas também dos profissionais que trabalhavam com ele ali na escola.

    “Trabalho com ele. Preciso me dar bem com ele. Seria constrangedor para os outros se não fosse assim.”

     ruptura-estranhos-como-eu O lugar que era para ser como uma segunda casa para a criança ou o adolescente tem se tornado lugar de violência, discórdia, abuso, má fé, menosprezo e desleixo. Professores assediando e sendo assediados, alunos praticando violência, alunos que não sabem o valor do respeito, uma diretoria negligente (e como ela é negligente em Ruptura!). O diretor se mostrou absurdamente indolente, despreocupado.

    “Lidar com dinheiro mancha a alma de uma pessoa assim como suja as pontas de seus dedos. Administrar as contas de uma escola pode ser uma tarefa difícil.”

      O chefe de Lucy, Cole, a estava pressionando que escrevesse o relatório final sobre o caso de Samuel Szajkowski alegando que o mesmo fosse culpado, assim eles encerrariam o caso, porém a detetive não o fez. Pediu um prazo para que pudesse apurar mais os fatos. Cole não queria que isso se estendesse mais, afinal, o professor fez uma chacina na escola e se matou logo em seguida. Vítimas encontradas e assassino morto, ponto final! Embora corresse o risco de perder seu emprego, embora todos considerassem o professor o único culpado, ela não cessou sua busca.

    “É difícil, não é? Quando não temos ninguém para culpar por algo terrível que aconteceu. Ou quando não temos ninguém vivo para culpar. Consegue entender? É sempre mais fácil lidar com a dor se você consegue transformar essa dor em raiva, se você consegue liberar essa dor, se consegue culpar alguém, ainda que essa pessoa não mereça ser culpada.”

      Ainda que fosse arriscado para Lucy essa investigação, sua escolha a fez descobrir muito mais do que todos esperavam. Quanto mais conhecia Samuel através dos testemunhos de terceiros, mais sentia compaixão por ele. A ação do professor não pode ser justificada de maneira alguma, mas por um lado ele também foi vítima, não da própria arma, mas sim da indiferença.

    “Por que o ônus ficava sempre com os mais fracos quando eram os mais fortes que dispunham de liberdade para agir? Por que os mais fracos eram obrigados a ser corajosos enquanto os mais fortes tinham autorização para se comportar como covardes?.”

      O que nos envolve na trama são os pensamentos e opiniões de pessoas envoltas ao crime, principalmente de Lucy, que se mostrou misericordiosa em relação ao professor. Entretanto, o desfecho deixou um pouco a desejar. Senti que a história terminou antes da hora. É como se tivessem arrancado o capítulo final dele. Parecia que a Lucy fosse fazer muito mais. Porém, isso não classifica Ruptura como um livro ruim. Gostaria que todos pudessem ter a oportunidade para lê-lo.

    Compre: Amazon  |  Americanas  |  Saraiva  |  Submarino

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] O Visconde Que Me Amava, Julia Quinn | Romance de Época

    5 dez

    o-visconde-que-me-amava-resenhaSinopse: A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Considerada a Jane Austen contemporânea, Julia Quinn mantém, neste segundo livro da série Os Bridgertons, o sensoeditora-arqueiro de humor e a capacidade de despertar emoções que lhe permitem construir personagens carismáticos e histórias inesquecíveis.

    Romance  |  304 páginas  |  Avaliação 5/5

      O Visconde Que Me Amava é o segundo volume da série Os Bridgertons. No total, ela é composta por oito livros. Leia a resenha do primeiro volume AQUI: O Duque e Eu.

      Mais uma temporada de baile se inicia e o solteiro mais cobiçado do momento é Anthony Bridgerton, o filho mais velho da família. O visconde sempre viveu uma vida de libertinagem, mas resolveu que era hora de acabar com ela. Decidido, cortejou a dama de maior destaque da temporada: Edwina Sheffield, uma moça de lindos cachos loiros e olhos claros que desperta atenção de todos os cavalheiros por onde ela passa. Entretanto, não a apreciava, ou pior, tampouco acreditava que seria possível amá-la. 

    Mas amor era uma complicação que ele preferia evitar. Não tinha desejo algum de presenciar esse milagre em particular na própria vida (P. 24).

      Além de ter certeza de que não se apaixonaria por alguém, escondia sob sete chaves o medo de não poder viver para ver seus filhos crescerem, seus netos e bisnetos. Tal segredo foi que o motivou a arranjar uma esposa. Sua intenção era não se casar velho demais para que pudesse ter filhos e manter o título na família. Mesmo que seu segredo pudesse fazê-lo partir desse mundo bem mais cedo do que desejava.

      Ao externar seu interesse por Edwina, sua irmã Kate Sheffield, logo se encarregou de adverti-la o quanto o visconde de nada valia, e que se casasse com ele seria a mais infeliz das mulheres. A medida em que Kate o reprimia, a situação se tornara mais atraente para Anthony do que a garota podia imaginar. O homem não desistiria! E ao que parecia, irritar Kate tornou-se um de seus hobbies favoritos.

    – Poucas coisas me agradam mais que um desafio (P. 43).

      Por mais que Edwina parecesse a candidata perfeita, Anthony não pôde deixar de notar sua irmã e concordar consigo mesmo que a mulher tinha suas particularidades. Por mais que Kate perdesse o brilho perto de Edwina, Anthony ainda conseguia enxergá-la. O que antes era apenas formalidade, tornara-se, para o visconde, algo pelo qual valia a pena mesmo ser vivido.

    o-visconde-que-me-amava

      Não senti enorme diferença entre esse e o volume anterior. Em relação aos cenários temos, por exemplo, a casa dos Bridgertons e os bailes. Ao que tange os personagens, os Bridgertons têm grande destaque. O humor e o romance também são bem próximos ao de O Duque e Eu. As cenas são tão divertidas quanto! Dei muitas gargalhadas. E não estou falando isso de graça não, eu realmente me diverti! Ele exala uma atmosfera tão gostosa que não dá vontade de fechar o livro!

      O único ponto que me deixou a desejar foi em relação ao romance. Pensei que a autora traria um ar um pouco diferente, mas não. As moças são bem recatadas e evasivas, como esperado, por se tratar da época. Kate, Edwina e Daphne são bem parecidas nesse quesito. A fórmula em que elas conversam com os cavalheiros, o bate papo que elas têm com as mães… De maneira alguma isso tornou o livro ruim, só o deixou um tanto previsível. 

      O Visconde Que Me Amava foi tão bem recebido (por mim rsrsr) quanto O Duque e Eu. Não sei nem exprimir o que Julia Quinn despertou em mim com seus romances. Só consigo pensar que essa autora fantástica me fez abrir os olhos e me apaixonar pelo gênero. Espero agora ansiosamente para ler Um Perfeito Cavalheiro! Já garanti meu exemplar 😉 

    Compre: Amazon  |  Americanas  |  Saraiva  |  Submarino

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Livros em Verso] The Kiss of Deception, por Maria Lúcia M. Xavier | Resumo

    25 nov

    Olá, leitores! No Livros em Verso, os livros são apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquela história que você tanto gosta!

    Este resumo não contém spoilers.

    the-kiss-of-deception-capa

    Era pra ser um conto de fadas
    Lindo, perfeito e verdadeiro
    Mas foi tudo uma mentira
    Os interesses vieram primeiro

    Aos seus dezessete anos
    Levando a vida normal
    Lia, princesa linda
    Primeira filha do casal real

    Mas quando menos esperava
    Ouviu o que o pai lhe falou
    Sentiu seu corpo tremer
    Sua vida desmoronou

    Tudo o que Lia queria
    Só amar e ser amada
    Ser livre e feliz pra sempre
    Sem ser forçada nada

    Pra salvar a paz entre os dois reinos
    Seu pai fez uma aliança
    Casar Lia com o príncipe Derek
    Acabou com sua esperança

    Casar com quem nunca vi?
    Não quero isso pra mim
    Meu pai está sendo cruel
    Não poso fazer assim

    Não abro mãos dos meus sonhos
    Aqui não vou mais ficar
    Eu só vejo uma saída
    Fugir pra outro lugar

    Fogem para Terravin
    A fim de trabalharem como empregadas
    Lia e sua melhor amiga
    Na taberna da pousada

    Em que mil sonhos morreriam
    Pra Lia seria o dia
    Pra nascer um novo sonho
    Era tudo o que queria

    O príncipe tinha uma missão
    Não era do mais contente
    Pra ir atrás da moça foi obrigado
    A atravessar o continente

    Mas um temido assassino
    Foi correndo, foi ligeiro
    Com ordem pra matar a moça
    Quem a encontraria primeiro?

    Para destruir uma aliança entre os reinos
    Só havia uma opção
    Matar aquela princesa
    Era a única solução

    E o final desta história
    Pra você que ainda não leu
    Eu não vou poder contar
    Pois não sei o que aconteceu 🙂

    the-kiss-of-deception-resenha

    Os versos  foram escritos e adaptados por Maria Lúcia Monteiro Xavier.
    A história por trás dos versos pertence ao livro The Kiss of Deception da autoria de Mary E. Pearson.

    Escrito por: 
    Maria Lucia Monteiro Xavier

     

    Maria Lúcia Monteiro Xavier

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Inferno, Dan Brown

    22 nov

    inferno-dan-brownSinopse: Neste novo e fascinante thriller Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em O código Da Vinci, Anjos e demônios e O símbolo perdido e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado em uma das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo o sombrioeditora-arqueiro poema de Dante, Langdon mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído. 

    Suspense  |  448 páginas  |  Avaliação 5/5

      Nesta sequência eletrizante, nosso querido professor Robert Langdon acorda deitado numa das camas de um hospital em Florença sem ter a mínima ideia de como foi parar ali. Até onde se lembrava, estava em Harvard nos Estados Unidos. Não muito após despertar, foi atendido por uma doutora loira simpática chamada Sienna e outro chamado Marconi. Sem ter tempo para muitas explicações, uma mulher com cabelo espetado invadiu o quarto e deu um tiro no doutor. Com muita agilidade, Sienna puxou o professor e o conduziu para fora do quarto. Não levou muito tempo para descobrir que seu paradeiro no momento era a lindíssima Itália. Sienna os levou para seu apartamento às pressas.

      A mulher mostrou um cilindro do tamanho de uma mão adulta marcado com um ícone trilateral para Langdon, indicando o símbolo de risco biológico, o que o deixou ainda mais abalado depois da perseguição turbulenta. Sienna o convenceu de abrir o cilindro, pois insistia que quem os estivesse encalçando logo poderia achá-los, então, no calor do momento, Langdon o fez. Assim que o cilindro se abriu, o mesmo revelou um selo cilíndrico o qual escondia uma projeção do Mapa do Inferno de Sandro Botticelli de forma alterada, fazendo alusão ao poema de Dante Alighieri, A Divina Comédia, poema o qual relata sua jornada imaginária pelo inferno. A partir daí, os dois tomaram para si o selo e seu enigma e partiram em uma aventura sem saber no que iria dar. Para Robert, o mais importante eram as respostas para: Como ele foi parar lá e por quê?

    inferno-resenha

    “Os invejosos têm de subir com os olhos costurados para não cederem à cobiça; os orgulhosos devem carregar imensas pedras nas costas para se curvarem com humildade; os gulosos devem subir sem comida nem água, suportando assim uma fome excruciante; e os luxuosos devem subir em meio a labaredas de fogo, de modo a se purgarem do calor da paixão” Descrição de Robert Langdon sobre o Mapa do Inferno de Botticelli.

      Há um personagem chamado Bertrand Zobrist. Ele era um milionário, geneticista fenomenal que estava cheio de ideias e  também era apreciador de Dante. Levava muito sério a superpopulação mundial, que é o tema central desse livro de Dan Brown. Zobrist dispunha de um pensamento transumanista, ou seja, ele era a favor do uso da ciência e suas tecnologias para poder melhorar as condições humanas tornando o organismo mais resistente e superior. O homem tinha planos inimagináveis. No início do livro ficamos por dentro desses planos, pois o personagem os expôs para a doutora Sinskey, diretora da OMS – Organização Mundial de Saúde.

    A humanidade, quando não controlada, funciona como um câncer.

      Nessa aventura somos jogados em uma busca contra o tempo, pois uma temível ameaça tomava controle de tudo e todos. Langdon e Sienna tiveram que correr o mais rápido possível, pois tudo estava em jogo. A loucura era claramente exposta toda vez que eles acertavam uma pista, passavam por uma passagem secreta ou escapavam por corredores às escondidas. O que tornou a história mais intensa era que tudo acontecia em um único dia! Algo que não reluto em declarar é que é impossível adivinhar o final da história.

      Inferno foi meu segundo livro lido sobre as aventuras do professor (Leia AQUI a resenha de O Símbolo Perdido). Recentemente o filme de Inferno estreou e você não pode deixar de ler o livro que o inspirou! 

    NOVIDADE!

      Há pouco tempo Dan Brown anunciou que o quinto livro com o professor Robert Langdon tem previsão de lançamento para setembro de 2017 nos EUA. A nova aventura tem como título Origin, sem tradução até o momento.

    Assista ao trailer de Inferno:

    https://www.youtube.com/watch?v=SMMgF-8G1og

      Me tornei GRANDE fã do autor e mal posso esperar para Origin! Se você gosta de mistérios envolvendo religião, história, ciência, arte e um monte de quebra cabeças, vai simplesmente mergulhar no mundo de Langdon e ansiar mais e mais por suas aventuras!

    Compre: Amazon  |  Americanas  |  Saraiva  |  Submarino

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Terror e Suspense
  • Página 5 de 14«...34567...10...»