Categoria: Romance e Drama

[Resenha] O Guardião de Memórias, Kim Edwards

19 jan

o-guardiao-de-memoriasSinopse: Inverno de 1964. Uma violenta tempestade de neve obriga o Dr. David Henry a fazer o parto de seus filhos gêmeos. O menino, primeiro a nascer, é perfeitamente saudável, mas o médico logo reconhece na menina sinais da síndrome de Down. Guiado por um impulso irrefreável e por dolorosas lembranças do passado, Dr. Henry toma uma decisão que mudará para sempre a vida de todos e o assombrará até a morte – ele pede que sua enfermeira, Caroline, entregue a criança para adoção e diz à esposa que a menina não sobreviveu. Tocada pela fragilidade do bebê, Caroline decide sair da cidade e criar Phoebe como sua própria filha. E Norah, a mãe, jamais consegue se recuperar do imenso vazio causado pela ausência da menina. A partir daí, uma intrincada trama deeditora-arqueiro segredos, mentiras e traições se desenrola, abrindo feridas que nem o tempo será capaz de curar.

Drama  |  368 páginas  |  Avaliação 2/5

   O Guardião de Memórias nos conduz a um assunto delicado; todas as suas fichas apostadas nele são como sendo um livro que faz chorar. A trama é extremamente leve, sem muitos confrontos, o que pode gerar certa monotonia em alguns momentos. Suas páginas retratam o cotidiano dos personagens. Não é uma leitura simples e nem aconselhável para todas as idades, por isso certifique-se se o livro bate de encontro com o que você procura.

“(…) sua mentira a fizera sofrer de uma maneira que ele nunca havia imaginado nem pretendido.”

   David e Norah se casaram pouco tempo depois de se conhecerem. A moça estava esperando um bebê. O tempo lá fora era totalmente desfavorável, mas como o caso era de extrema urgência, o casal saiu de casa a fim de cumprir o parto. O próprio marido que teve de realizá-lo, mesmo sendo apenas um ortopedista.o-guardiao-de-memorias-livro

   Foi uma noite de intensa alegria… e tristeza. Quando o homem viu que haviam nascido gêmeos, sendo que a menina era portadora de síndrome de down e o menino não, entregou a bebezinha para Caroline, sua enfermeira, dando ordens de que a levasse até uma instituição e a deixasse por lá. Esta, porém, sentiu empatia pelo neném, o que a levou a cuidar dele como se fosse seu.

   Estamos falando sobre uma história que se deu início no ano de 1964. David Henry explica que a garota sofreria de sérios problemas no coração e acabaria não sobrevivendo por muito tempo. Por isso queria poupar sofrimento. Mas a história que contou para sua esposa fora que a menina havia falecido. Ela, inconsciente após o parto, acreditou na versão do marido. Depois disso a mulher nunca mais foi a mesma.

   O tempo não parava, e quanto mais ele passava, menos Norah se esquecia da morte da filha. Havia um buraco em sua vida que só poderia ser preenchido pela garotinha. Diante disso, muitos problemas surgiram com a ausência da mesma; aquela que deveria estar ao lado dela desde o nascimento.

“Quanto a Phoebe, ela a manteria viva no coração.”

   A dor por manter um segredo deixava David constantemente perturbado e sem saber com o rumo que sua vida tomava. Traições, desrespeito, rebeldia e desânimo constante.  Começou a fugir da consternação evidente através de um hobbie chamado fotografia.

“A julgar apenas por aquelas imagens, ninguém poderia suspeitas dos intricados mistérios de seu coração.”

   O Guardião de Memórias nos traz à tona toda dor sentida pelas oportunidades perdidas. Apesar de consentimos claramente a forma erroneamente fugaz da escolha feita pelo doutor Henry, o mesmo dispensa compaixão. O reencontro da garota com sua família biológica é o que não nos faz de desistir da leitura. Prepare seus corações, pois O Guardião de Memórias pode deixá-lo em pedacinhos.

Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] O Leitor, Bernhard Schlink

    7 jan

    o-leitor-livroSinopse: Michael tem somente 15 anos quando conhece Hanna, uma mulher 21 anos mais velha. É o início de uma delicada relação amorosa, marcada por pequenos gestos e rituais. A leitura de clássicos de Tolstói, Dieckens e Goethe precede os encontros. Aoeditora-record longo de meses, o casal repete essas cerimônias, interrompidas pelo súbito desaparecimento de Hanna. Sete anos depois, Michael, estudante de direito, é convidado a tomar parte em um julgamento contra criminosos do regime nazista. Ele descobre que uma das acusadas é sua antiga amante, o que o lança a um vórtice de culpa e piedade.

    Drama   |   250 páginas   |   Avaliação   2 / 5

       Aos 15 anos, aconteceu algo com Michael Berg que ficou guardado para sempre com ele. Algo que marcou sua vida, e que mais tarde isso que era considerado como passageiro acabou se tornando seu pior pesadelo.

       Michael Berg era apenas um adolescente quando conheceu Hanna Schmitz, uma mulher muito mais velha e analfabeta. Suas vidas se cruzaram de modo inesperado. Impetuosamente, Hanna fascinou o garoto, o qual este pela sua ingenuidade, não se esquivou da sedução da mulher.

    Ler em voz alta, tomar uma chuveirada, amar e ficar um pouco mais juntos – este tornou-se o ritual dos nossos encontros.”
    “Na noite seguinte, me apaixonei por ela. Não dormi direito, senti sua falta, sonhei com ela, pensava senti-la até reparar que estava segurando o travesseiro ou o cobertor.”

       Se tornou usual na vida de Michael ir se encontrar com Hanna após seu horário de escola. Os dois mantinham uma relação restrita a sessões de leitura e sexo (ele lia enquanto ela escutava). Subitamente, Hanna desapareceu sem deixar pistas, o que destroçou o coração do rapaz.

       A vida dá muitas voltas, e dessa vez, oito anos depois esse incidente, Michael nunca teria imaginado a proporção do inconveniente. Ele, como estudante de direito, tem de assistir a um julgamento o qual o ocorrido fora pior que homicídio onde Hanna está no banco de réus acusada por um crime em um campo de concentração nazista. Ao se por diante desta situação, Michael percebe que há muitas coisas que a mulher omite, e que essa acusação, por alguma razão, poderia ser uma fraude.

    o-leitor-livro

       Não apenas perplexo, mas muito magoado, o garoto assistia as sessões do julgamento. Ninguém naquela sala tinha a menor noção do que Michael Berg sabia sobre Hanna, pois ele guardava um segredo sobre a mulher que se revelado, mudaria o curso de toda a história. Ou seja, ele poderia salvá-la!

    “(…) Eu continuava sendo culpado. E se não fosse culpado porque a traição a uma criminosa não pode tornar uma pessoa culpada, era culpado porque tinha amado uma criminosa.”

       Sobre a fidelidade do filme ao livro, devo dizer que não saiu muito fora dos padrões. Senti que enquanto lia, tudo era muito raso, quase não sentia muitas emoções. Acredito que tudo foi bem explorado na adaptação.

      O Leitor é um livro fininho com letras grandes, então fica bem fácil de terminar a leitura rapidamente. Dei uma nota baixa por justamente não conseguir me adentrar de cabeça na história. Parecia que faltavam pedaços mais convincentes. Os diálogos foi outra coisa que me incomodou também, mas apesar disso, não descarto a leitura e indico o livro. Pelo menos o enredo foi muito bem construído!

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Preciosa, Sapphire

    3 jan

    preciosa-livroSinopse: Claireece Precious Jones suportou inimagináveis dificuldades em sua curta trajetória. Abusada pela mãe, estuprada pelo pai, ela cresce pobre, obesa, embrutecida, analfabeta, desprezada e, no geral, ignorada. Em seu próprio dialeto, ela se revela para os leitores: as humilhações constantes, os sonhos desfeitos e a resignação com que enfrenta a própria vida. No Harlem, o reino dos sem voz, mora com a mãe, mulher solitária e cruel que assiste a TV incessantemente, devora toda a comida que Precious prepara e a submete suas tiradas raivosas. Por causa da gravidez é forçada a abandonar a escola — o último e editora-recordprecário vínculo que a ligava ao restante do mundo — e é convidada a frequentar um centro de aprendizado alternativo. Ali, no fim da linha, está a senhorita Rain, uma jovem professora, radical e batalhadora por meio da qual Precious terá a possibilidade de recuperar sua voz e sua dignidade, descobrindo um mundo novo no qual poderá finalmente entender os próprios sentimentos e se expressar de uma maneira que nunca antes havia imaginado.

    Drama  |  192 páginas  |  Avaliação  2/5

       Vamos começar por seus problemas: é analfabeta, obesa, foi mãe pela primeira vez aos 12 anos, está grávida de seu próprio pai, sofre abusos e humilhações constantes de sua mãe e tem dificuldade em fazer amizades.

    preciosa-record

       A jornada da personagem principal, Preciosa, não é algo inédito. Já vi várias histórias da mesma situação que a garota. É algo que dá vontade de entrar naquele universo e fazer alguma mudança, diferença. As vezes nós estamos vivendo com pessoas assim a nossa volta e simplesmente ignoramos.

       Preciosa é expulsa do colégio em que frequenta, mas logo entra para um projeto, como que um supletivo, onde os alunos são submetidos a escrever em um diário todo dia. Nem que fosse uma palavra ou apenas só uma letra. A professora acaba por encantar a aluna. Preciosa se impressiona e encontra um pouco de esperança quando, no entanto, só havia visto derrota.

    “A jornada mais longa começa com um único passo”  (pág. 61).

    preciosa-livro

       É pessoal, eu poderia simplesmente escrever que o livro é lindo, realmente tocante, mas eu não me arrisco. Para chegarmos a ver algo agradável, a personagem passa por tanta coisa que chega a dar aflição. Vez ou outra me sentia compelida a parar a leitura para respirar. Sinceramente, é tenso. O pior é que todo relato de sofrimento encontrado em Preciosa acontece com pessoas reais até nos dias de hoje. O livro é bem curtinho, e pode ser lido facilmente em um dia. Convido você para conferir essa história!

    Até mais!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Juntando os Pedaços, Jennifer Niven | Vale a Pena?

    26 dez

    juntando-os-pedacosSinopse: Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca, mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares. Mas ninguém sabe disso até o dia em que ele encontra a Libby. Ela é nova na escola. Passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla selo-seguinteimprovável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

    Drama  |  392 páginas  |  Avaliação  5/5

      Juntando os Pedaços é tão amorzinho que fica difícil descrevê-lo! O livro é tão doce, tão terno e delicado, que se segurado pelas mãos os dedos nem sentissem o seu peso. Ele é um misto sensações gostosas que deixam a alma  até mais leve.

    Nunca sabemos o tempo que temos. Nunca garantimos o amanhã (P. 189).

       Libby Strout foi nomeada a adolescente mais gorda dos Estados Unidos. Chegou um momento em sua vida o qual tiveram que quebrar a parede de sua casa e retirar a garota dali por um guindaste. Ela passou por alguns tratamentos (terapias, dietas…) aos quais não permitiam que desfrutasse de uma vida normal, como a de qualquer outro jovem. Finalmente, depois de alguns anos cuidando de si, ela ficou pronta para enfrentar a escola. Essa etapa poderia ser um completo terror. Mas, para ela, seria subir mais um degrau, virar a página. E ninguém estragaria isso, exceto… pelo fato de que estragaram.

    Tenho uma boa personalidade, ótima cabeça, sou forte e posso correr. Sou resiliente. Devo ser. Vou fazer alguma coisa com a minha vida porque acredito em mim mesma. Posso não ter decidido ainda, mas isso é só porque sou infinita. Pode dizer o mesmo de você? (P. 316).

       Um dos garotos mais populares do colégio, Jack Masselin, resolveu fazer uma brincadeira de mal gosto com ela, mas apenas porque seus amigos o pressionaram, e sabia que não o deixaria em paz até entrar no jogo. E quem ele escolheu como vítima foi, tã dã, Libby Strout. Ela revidou com um soco no queixo, que o deixou estendido no chão diante todo refeitório. Isso rendeu aos dois uma ida a diretoria e também um tempo prestando serviço comunitário

    A vida é muito curta para julgar. Não é nosso trabalho dizer o que os outros sentem ou quem eles são. Ao invés disso, por que não passar o tempo se dedicando à você mesmo? (P. 316).

       juntando-os-pedacosOs dois são forçados a passarem tempo juntos. Já dá pra imaginar o que possivelmente acontece. Mas não é tão previsível assim, já que Jack sofre de uma doença neurológica chamada prosopagnosia, a qual não permite que o indivíduo memorize rostos. Diante disso, se alguém sair do campo de visão do garoto e reaparecer, a pessoa, para ele, será como qualquer outra, um estranho. Ninguém sabe de sua condição, a não ser Libby. Por algum motivo, ele a confiou o maior segredo de sua vida.

       Libby experimenta sensações pela primeira vez. Nos faz voltar no tempo em que apenas um olhar provoca borboletas no estômago e suor na palma da mão. Mas era difícil ter expectativas, pois ainda se sentia insegura com seu peso, e ainda era alvo de bullying. Entretanto, a garota se mostrou madura ao tentar lidar com essas amarras da vida. Quebrou tabus e se impôs, como qualquer ser humano em busca de liberdade. Ela é um exemplo de amor próprio <3

    VOCÊ É QUERIDO. Não deixe ninguém te dizer o contrário, nem mesmo você. Especialmente você (P. 317).

      Apesar de tudo, Jack estava do lado dela. Não sentia vergonha, não a repreendia, não a ameaçava, não a criticava. Ele torcia por ela, assim como ela, ao entender as condições do amigo, o ajudou com tudo o que podia.

    Torço por você.

       Não há como ser breve diante de um livro tão espetacular como este! Jennifer Niven tratou aqui claramente sobre aceitação de si mesmo. Grande, pequeno, alto, baixo, simpático, tímido, atraente, simples… Venha do jeito que é!

    761efb6707ecc66282474ff0a03f638b

    “A felicidade combina deslumbrantemente com você.”

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha por Mylena Machado] Uma Longa Jornada, Nicholas Sparks

    17 dez

    uma-longa-jornadaSinopse: Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga a um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição. Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começeditora-arqueiroa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.  

    Young Adult  |  368 páginas  |  Avaliação  3/5

      Uma longa jornada relata a história de dois casais: Ira e Ruth, Luke e Sophia. Duas histórias de paixões verdadeiras recheadas de obstáculos, segredos e surpresas, além de uma reviravolta inusitada. Se prestarmos um pouco mais de atenção aos detalhes, há muitas semelhanças entre os casais. Falarei um pouco sobre os “pombinhos”, começando por Ira e Ruth.

      Desde o princípio, o livro deixa bem claro a morte de Ruth. Seu marido, Ira, já aos seus 91 anos de idade, vive sozinho, sem filhos, sobrinhos ou irmãos. Já externando alguns danos na saúde, Ira reconhece a velhice. Mas a história propriamente dita começa quando ele decide passar o dia numa cidade especial (em dia especial), e toma rumo a ela. Na estrada, com a vista ruim e a audição desgastada, o velho senhor sofre um acidente.

      O mais interessante é que Ira tem todas as características de estar praticamente morto, e naquele carro ele revive os momentos mais lindos e especiais de sua vida, o que se resume em Ruth. Mesmo sabendo que tudo aquilo se passava no seu subconsciente e Ruth era apenas uma ilusão, Ira passa o tempo que lhe resta esperando o seu resgate, embora isso não era tão importante quanto estar com Ruth. Eles passam esse tempo conversando e relembrando seus momentos. O idoso sente até seu toque, e sua “ajuda” é fundamental em algumas situações. Ele relembra tudo desde o dia em que se conheceram, quando se casaram, até seus últimos dias. Uma história emocionante, típica de Sparks.

      Ok, chega de falar em Ira e Ruth, ainda temos outro casal a conhecer: Luke e Sophia, esses sim estão com as emoções e sentimentos à flor da pele!

      Sophia mora numa irmandade com Marcia, sua colega de quarto na universidade. Faz história da arte e está demasiadamente “de molho”, pois acabou de terminar um relacionamento com Brian ao descobrir que ele dormiu com outra garota. A essa altura, Sophia só sai do quarto para assistir as aulas e não tem ânimo algum para noitadas, não quer mesmo conhecer ninguém. Marcia insiste em levá-la a um lugar onde afirma que ninguém da irmandade vai estar, inclusive Brian (Sophia também insiste em dizer que ele está seguindo-a). Por fim as duas vão para o lugar, um rodeio próximo dali.

      Após o rodeio, uma banda country se apresentou. Enquanto Marcia estava se embriagando, Sophia foi procurar um lugar mais reservado depois de se deparar com Brian. Não percebeu que estava sendo seguida e estava determinada a não falar com ele, e naquele momento brigaram feio. A certo ponto do conflito já estava com medo. De repente, vê Brian sendo retardado por Luke, o vencedor da competição do rodeio mais cedo (o que Sophia gostou de pensar que ele foi sua “salvação”). A partir daí, Brian vai embora com muita relutância e Luke e Sophia engrenam numa longa conversa.

    Aquilo não foi longo, não foi ardente, mas assim que seus lábios se uniram ela teve a súbita certeza de que nada jamais parecera tão fácil e certo, o final perfeito para uma tarde perfeita.

      No decorrer do tempo, Sophia visita frequentemente a fazenda de Luke. Logo já estavam começando a visar um futuro juntos, mesmo com muitos problemas que os detinham. Sophia desconfiou que o homem guardasse um segredo. Estava disposta a descobrir o que ele tanto escondia.

      É isso, um final estupendamente inusitado, onde esses dois casais “se unem” de uma forma inimaginável. Uma história, não, duas histórias incrivelmente emocionantes que descrevem essa longa jornada que é a vida.

    Escrito por:

    Mylena

       Mylena Machado, 16 anos, estudante e minha prima. Será nossa resenhista de livros. Pegou mania de ler há dois anos. A primeira saga que a conquistou foi Percy Jackson e os Olimpianos.

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Resenha] Farsas e Milagres, Mauro Livio

    13 dez

    farsas-e-milagresSinopse: A história não contou, mas Luiz Vaz de Camões teve um herdeiro. Iniciou-se no século XIX uma grande história de amor entre Isabel e Augusto Medeiros de Camões. O romance emocionante entre o jovem casal desenvolveu-se em meio a uma trama maligna e obsessiva: um frei não mediu esforços para levar ao mundo relatos de milagres que se sucediam em sua igreja. Para isso, foi capaz inclusive de forjar alguns para garantir sua fama, notoriedade e riqueza. Alguns anos depois, Jackson Coutinho de Camões (Jack Cout), durante uma visita a Basílica onde acontecia os “milagres”, presenciou fatos estranhos e decidiu investigá-los, afinal ele era o melhor detetive de seu departamento. Em meio a desaparecimentos, assassinatos, gafes, enigmas, salas secretas, homens centenários e umselo jovem ardente sonho recorrente, Jack precisará de muita astúcia e alianças para responder as perguntas que aparecerão durante sua investigação. Contará com a ajuda de pessoas engraçadas como sua avó, lúdicas como o padre João Paulo e misteriosas como Tadeu, quem se intitula anjo da guarda da família Camões. Será que tudo o que foi divulgado até hoje, sobre a Santa, a basílica e sobre Augusto são de fato milagres?

    Romance/Drama  |  232  páginas  |  Avaliação  3/5  |  Cortesia Selo Jovem

       O livro é dividido em duas partes, o passado e o presente. Primeiramente a narrativa nos leva lá no século XVI, e introduz uma parte da vida de Camões que até o momento ninguém sabia. A passagem é breve. Logo em seguida somos jogados no século XIX, onde o autor relata o início de como as farsas e os milagres surgiram.

    Não fui eu quem enganou estas pessoas por mais de um século (P. 115).

    farsas-e-milagres-mauro-livio    Augusto era descendente de Luís Vaz de Camões, e com isso herdou o mesmo dom do poeta. Foi só conhecer Isabel para que esta se tornasse a maior de suas inspirações, a musa de seus sonetos. Só que o destino quis pregar uma peça nos dois, provocando uma desunião trágica entre o casal. Entretanto, o que parecia ser o fim para Augusto, em pouco tempo, havia se transformado em um milagre. 

    Para um poeta a perda de amor é um aterro para alma (P. 11).
    O mesmo caminho que ele já havia percorrido por anos parecia estar diferente, sem cor, sem perfume, sem o gosto do amor (P. 62).

       O rapaz havia presenciado alguns, em suas palavras, “milagres”. Achou que estava fazendo o certo quando iniciou uma parceria com o frei Natanael da igreja de Jasmim do Alto, o qual  tinha o intuito de apresentar a Santa milagrosa – Santa do Relicário – ao mundo, no entanto, o frei só mostrou que não passava de um mentiroso ganancioso. Usava os “milagres” relatados por Augusto a fim de se tornar famoso.

       Os anos foram passando e com suas mentiras mais e mais fiéis a igreja foi conquistando. A situação teve uma chance de ser revertida quando Jack Cout, um detetive descendente de Augusto e, claro, Luís Vaz de Camões, testemunhou um episódio muito suspeito na basílica durante uma visita: ouviu gritos vindo de uma sala de reza. Quem estava lá acobertou o caso, mas Jack não quis deixar por isso só. Tomou a investigação para si e resolveu que não iria sossegar até descobrir o que realmente estava se passando por ali. Com isso, as farsas e milagres estavam umpasso mais próximos de serem descobertos.

    Em breve os segredos serão revelados, e este reinado fenecerá com suas farsas e milagres, assim como você (P. 115).
    – O poder, meu filho. Você quer conhecer o verdadeiro caráter de um homem, dê poder a ele (P. 178).

       farsas-e-milagresO que tal hipocrisia poderia acarretar para a determinada igreja? O frei, ainda vivo (com mais de 170 anos!), poderia ter se redimido? Quais eram as chances de Jack pôr na mesa segredos já ocultados por décadas? 

       Farsas e Milagres é um livro com uma pegada leve de religião e arte poética, mas ao mesmo tempo a trama sobrenatural manifesta-se de maneira sombria. O livro é bem fácil de ser lido podendo ser finalizado em poucos dias. Passei horas a fio com ele sem nem perceber o tempo passar. Durante a leitura, lembrei-me de algumas obras da literatura brasileira em função da escrita e os pontos chave da trama. Como a história que envolvia Augusto e Isabel que, particularmente, foi a que eu mais gostei.

    farsas-e-milagres-selo-jovem   A jornada de um escritor é árdua. Criar não é uma tarefa fácil. Por isso aproveito para parabenizar o autor Mauro Livio pela sua perseverança e em não descansar até concluir esse trabalho. Parabéns pelo livro!

    Compre: Selo Jovem

    Até a próxima!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • Página 4 de 10«...23456...10...»