[Resenha por Mylena Machado] Fazendo Meu Filme, Paula Pimenta

23 jan

fazendo meu filmeSinopse: Fazendo meu filme é um livro encantador, daqueles que lemos compulsivamente e, quando terminamos, sentimos saudade. Não há como não se envolver com Fani, suas descobertas e seus anseios, típicos da adolescência. Seja a relação com a família, consigo mesma e com o mundo; seja a convivência com as amigas, na escola e nas festas; seja a relação com seu melhor amigo e confidente. Tudo muda na vida de Estefânia quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. É sobre isto que trata este livro: o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive aeditora gutenberg dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. As melhores cenas da vida de Fani podem ainda estar por vir.
Infanto Juvenil   |   336 páginas   |  Avaliação 3,5/5

   Sempre ouvi falar muito bem desse livro, mas não imaginava que seria tão bom assim, tão envolvente. A incrível Paula Pimenta nos surpreende com uma história fofa, simples e sem limites. Esse é um daqueles livros que te faz voar no tempo.

   Fazendo Meu Filme te prende, deixa tenso, curioso e louco para saber como termina a história de uma menina super fofa chamada Fani. O livro relata a vida dela, Estefânia Castelino Belluz (ou Fani, como prefere ser chamada), uma menina de 16 anos que cursa o 2º ano do ensino médio. Ela narra a história em 1º pessoa e, como qualquer adolescente nessa idade, tem seus conflitos interiores, uma guerra de sentimentos. 

   Fani é caseira e apaixonada por DVD’s. Cada capítulo é intitulado com o nome de seus filmes favoritos, relatando assim sua história de vida com uma linguagem bem clara e informal, tendo gírias utilizadas, conversas por MSN e várias trocas de bilhetinhos. Logo no início do livro, são listados todos seus filmes prediletos, e então assim são relacionados com um momento de sua vida, como um trecho de cada filme.

   O desenvolver da história é bem gostoso. É por meio das complicações da vida de Fani que ela percebe como têm pessoas ao seu lado que a ama muito, e que mesmo afastadas umas das outras elas estão ao seu lado.

   Suas amigas, Gabriela e Natália, têm um papel importantíssimo no livro: abrir seus olhos e fazê-la enxergar aquilo que está na cara, mas ela não consegue ver. Claro, não podemos esquecer do Léo, seu melhor amigo. E que também é o mair fofo. O rapaz é apaixonado por música e por otras cositas mas, só que Fani não percebe. A relação dos dois é aquela coisa de ensino médio, adorável. Dá nostalgia para quem viveu essa fase, e para quem está vivendo se vê no lugar de Fani, por isso o livro é um romance para todas as idades.

“É tão estranho como uma pessoa fica diferente aos nossos olhos quando o sentimento da gente muda… Eu já vi o Leo milhões de vezes, mas de repente ele ficou muito mais bonito! É certo que eu sempre o achei uma gracinha, o sorriso dele é um dos mais charmosos que eu já vi, mas de uma hora pra outra parece que ele ficou iluminado….”

   Recomento muuuuuito Fazendo Meu Filme. Paula Pimenta soube descrever e detalhar muito bem a vida de sua personagem principal numa linguagem agradável de se ler, por mais que eu achasse que o livro fosse um pouco infantil, a Paula me provou totalmente o contrário.

Escrito por:

 Mylena

 

Mylena Machado, 16 anos, estudante e minha prima. Será nossa resenhista de livros. Pegou mania de ler há dois anos. A primeira saga que a conquistou foi Percy Jackson e os Olimpianos.

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Sorteio] Marcadores de Página

    19 jan

    giphyOlá, leitor! Fico muito feliz por estar realizando o primeiro sorteio do blog. Serão sorteados todos os cinco marcadores para o primeiro participante e dois para o segundo, sendo que este poderá escolher dois dos cinco disponíveis. Respectivamente (da esquerda para a direita), eles são dos livros:

    (mais…)

  • Categorias: Promoções
  • [Resenha] Eleanor e Park, Rainbow Rowell

    18 jan

    eleanor e parkSinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a editora-novo-seculodesaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

    Romance/Drama   |   328 páginas   |  Avaliação 5/5

       Esse foi meu primeiro livro de 2016 e provavelmente o mais doce de todos lidos até hoje. Eleanor e Park trata-se de um amor romântico entre um casal de adolescentes de dezesseis anos. Ela era gordinha e ruiva, enquanto ele coreano e geek. Esses dois se perdem um no outro e faz você viajar com eles. O romance se manifesta de maneira improvável, e depois dissipa todas as inviabilidades, as revertendo em algo maravilhosamente fofo. O livro é narrado pelos dois, variando por capítulo. Desta maneira, fica mais fácil refletir sobre a linha de pensamento de cada um.

       Primeiramente, apresentarei Eleanor. Descartando a aparência, ela é uma menina que emana insegurança. Tanto na sua fala quanto em seu jeito de andar. Por ela ser nova na escola e aparentemente esquisitona, sofria bullying de algumas pessoas. Em casa não era muito diferente. Seu padrasto era quem sustentava a casa, então era como uma necessidade tolerar alguns abusos do homem, que incluíam gritos, falta de respeito, ofensas e medo.

    “Nunca se sentira aceita em lugar algum, exceto quando se deitava em sua cama e fingia ser outra pessoa”.

       Park não era zoado por ninguém, até era amigo dos alunos que implicavam com Eleanor. No início ele foi áspero com ela, afinal, não queria ninguém rindo dele pelas costas por ser amigo da ruivona. O que ele nunca imaginou é que seus gostos tinham mais em comum do que apenas aparentava. 

    “Deslizou a fita nova lá dentro, apertou o play, e então – com cuidado – colocou os fones de ouvido por cima dos cabelos. Foi tão cuidadoso que nem chegou a tocá-la”.

       Com Eleanor e Park entendi o sentido de voltar aos dias de frio na barriga. Foi realmente apenas um segurar de mãos que os faziam andar nas nuvens.

    “Entrelaçou seus dedos nos dele e tocou-lhe a palma com seu dedão.
    – Tudo certo? – ela sussurrou.
    Ele fez que sim, respirando fundo. Os dois olharam para suas mãos.
    Puxa”.

       Foi uma quebra de clichê categórica. Park estava lá para Eleanor, cuidava dela com destreza. Para o que der e vier, ele estava lá, com unhas e dentes. É simplesmente envolvente e extremamente lindo o desenrolar da relação entre Eleanor e Park. Não há palavras para descrever o tanto que essa história vai mexer com você.

    “Ele ficava fazendo com que ela se sentisse segura para sorrir”.

    Obrigada pela leitura!

  • Categorias: Resenhas, Romance e Drama
  • [Day by Day] Filmes com a Família, Rebeca Veiga

    13 jan

    Olá pessoal, como estamos em ritmo de férias resolvi trazer pra vocês algumas sugestões
    de filmes pra assistir com toda a família. Então, chama a família e já vai preparando a pipoca! Rs

    1. Juntos e Misturadosjuntos e misturados
    A primeira sugestão é uma comédia com Adam Sandler e Drew Berrymore. Aposto que você se lembra dos dois em “como se fosse a primeira vez”, né? Rs O filme conta a história de Jim e Lauren que após um encontro desastroso acabam viajando por coincidência para o mesmo resort na África. Lá eles têm o desafio de conviver harmoniosamente e fazer com que seus filhos se divirtam durante as férias. É claro que isso leva a cenas hilárias e eu tenho certeza que vai agradar a todos da família.

    2. A Espiã Que Sabia de Menos2015-06-04-espia-que-sabia-de-menos
    Esse filme conta a história de Susan Cooper que é uma simples analista da CIA com o sonho de ser agente de campo. Quando a identidade dos agentes da CIA fica comprometida ela se voluntaria para ir a campo, porém Susan foge dos padrões dos agentes. Gordinha e desengonçada ela está longe do charme e habilidade dos outros agentes, entretanto ela vai mostrando seu valor e esperteza no decorrer do filme. A inexperiência de Susan como agente vai render a sua família muitas gargalhadas. Assistam!

    a_teoria_de_tudo3. A Teoria de Tudo.
    Fugindo um pouco da comédia, se a sua família curte um drama com certeza vocês vão adorar esse filme. Ele conta a história de um jovem astrofísico que é diagnosticado com uma doença degenerativa aos 21 anos. Vale lembrar que esse filme foi baseado na biografia de Stephen Hawking. O filme mostra as dificuldades impostas pela sua doença e também como ficou conhecido internacionalmente pela sua mente brilhante. Creio que vocês vão se emocionar!!
    Nota: Esse filme foi inspirado no livro A Teoria de Tudo (Travelling to Infinity: My Life with Stephen) de Jane Wilde Hawking, esposa de Stephen Hawking.

    Bom pessoal, fiz esse top 3 com filmes que assisti com a minha família que fez todo mundo rir e também se emocionar. Espero que tenham curtido as dicas e que assistam os filmes. Contem nos comentários se já viram algum e o que acharam. Beijos!

    Escrito por:

    Beca

    Rebeca Veiga, 21 anos e estudante de medicina. Tem ótimo gosto para moda e sabe dar conselhos muito bem. Gosta de acompanhar blogs e está sempre antenada.

  • Categorias: Day by Day
  • [Na Cozinha – DIY] Brigadeirão de Nutella, Rafaela Bueno

    11 jan

    Oi, gente! Resolvi dividir com vocês uma coisa fácil de fazer nessas férias e curtir com os amigos. Vamos lá!

    Ingredientes:

    5 ovos (de preferência de granja)

    12465685_957705837642000_509553258_o

    1 xícara de chá de leite 

    12465613_957706147641969_1011680732_o

    6 colheres de sopa de achocolatado

    12458630_957706350975282_1337838687_o

    2 latas ou caixinhas de leite condensado

    12469923_957706580975259_1907604991_o

    1 colher de sopa de margarina

    12471264_957706970975220_165204388_o

    1 pote pequeno de Nutella (140g)

    12476847_957707707641813_1423063711_o

    Modo de preparo:

    Bata bem em um liquidificador os ovos, leite, achocolatado, leite condensado, nutella e a margarina.

    12477204_957708034308447_1536956950_o

    Unte e polvilhe o açúcar em uma forma própria para pudim e logo após bater no liquidificador todos os ingredientes, despeje o creme.

    12470009_957708710975046_1930169400_o

    Asse em banho maria em um forno preaquecido a 200°C por 1 hora e 10 minutos.

    12465746_957709240974993_755156140_o

    Retire do forno e deixe esfriar na geladeira por 2 horas, logo após desenforme e se preferir, enfeite com raspas ou calda de chocolate.

    12476595_957709404308310_1742310340_o

    Sirva gelado 🙂 Até a próxima, pessoal!

     

    Escrito por:

    Rafa

     

     

    Rafaela Bueno, 16 anos e estudante. A Rafa é apaixonada em música e tem cada playlist que fico impressionada. Além disso, ela vai compartilhar conosco suas experiências com filmes e livros.

     

  • Categorias: DIY, Na Cozinha
  • [Livros em Verso] Eleanor e Park

    8 jan

    Olá, leitores! O Livros em Verso é uma nova categoria do blog. Como o próprio nome diz, os livros serão apresentados aqui por meio de versos cheios de ritmo e melodia. Será como uma viagem doce e agradável dentro daquele livro que você tanto gosta. 

    Indicamos essa categoria àqueles que já leram os livros apresentados nos títulos de cada post ou os que pretendem conhecer a história sem ler o livro.

    Os versos  foram escritos e adaptados pela minha tia Lúcia Monteiro Xavier. Esta categoria foi feita especialmente para ela, que dividirá conosco seu encantador talento em versos.


    Eleanor Park

     

    Uma moça bem gordinha, sardenta ruiva e quietinha
    Morava com seus irmãos, seu padrasto e sua mãezinha
    A família da menina era desequilíbrio total
    Via a mãe sofrendo tanto com um marido muito mal

    Bastante complexada, se sentia inferior
    Nem amigos ela tinha, seu nome é Eleanor
    Das maldades do padrasto, sua mãe nada fazia
    Porque era o marido quem sustentava a família

    Era nova na escola onde se matriculou
    Os meninos riram dela quando na sala ela entrou
    Mesmo assim seguiu em frente, não deixou se abater
    Mas todo dia tinha bullying que a fazia sofrer

    O pior disso tudo foi quando ouviu de repente
    As meninas que gritavam a chamando cabeçorvente
    Em casa era só problema, veja que situação

    Na escola a mesma coisa, só bullying e perseguição

    Entrou no ônibus da escola, começou a zombaria
    Nem imaginava que sua vida mudaria
    Ela andava procurando um lugar
    Mas todos colocavam as mochilas para Eleanor não se sentar

    O motorista falou “Ei, você! Vá se sentar!
    Com você de pé não tenho como sair
    Um rapaz lhe falou bem áspero “Caramba, é só sentar. Sente-se aí!
    Ela sentou e observou que ele lia um gibi

    Ali foi como um milagre onde tudo começou
    Seria uma nova amizade ou uma história de amor?
    Quantas coisas em comum eles foram descobrindo
    E o rapaz disfarçava para que os outros não os vessem e depois saiam rindo

    O tempo foi passando e seu amor aumentou
    Para defender Eleanor, com todos ele brigou
    Seu nome era Park, à ela ele convidou
    Para conhecer seus pais e então a menina aceitou

    O padrasto descobriu tudo e com a mulher foi brigar
    Eleanor ficou com medo que resolveu se mudar
    Então Park leva sua amada para o lugar que ela pediu
    Mas depois daquele dia, Park nunca mais a viu

    Por muito tempo o rapaz ficou triste se lembrando
    Do ônibus, dos dois juntinhos e as mãos se segurando
    Como uma borboleta de tão leve que sentiu
    Ficou somente as lembranças de sua amada que partiu

    O seu pai lhe chamou “Correspondência!“, foi quase fatal
    Entregou-lhe um envelope, era um cartão postal
    Mistura de sentimentos, tristeza, alegria e dor
    Apenas três palavrinhas Eleanor lhe mandou

    Ter perdido sua amada não era o que ele queria
    Nunca perdeu a esperança de revê-la algum dia
    Saudações, terra e lago foi tudo o que lhe escreveu
    Sentiu um alívio tão grande, ela não o esqueceu.

    eep5

     

    eleanor e park 6

     

     

     

    “Ela deu-lhe um beijo de língua. No ônibus”.

     

     

     

    Os versos  foram escritos e adaptados pela minha tia Lúcia Monteiro Xavier. Ressalvo que a história por trás dos versos pertencem o livro Eleanor e Park da autoria de Rainbow Rowell.

    Fiquem ligados, pois em breve resenharemos o livro 😉 Obrigada pela leitura e até a próxima!

  • Categorias: Livros em Verso
  • Página 26 de 30«...1020...2425262728...»